quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Silêncio. Estou cantando a minha vida.

Minhas mãos escrevem
o que meu coração quer falar
É a resposta para tudo
e todas as perguntas
que precisam de mais respostas

Tudo muda quando olho para o papel
A caneta desliza como uma nuvem
a acariciar o céu
As letras se transformam diante os meus olhos
e viram sentimentos

Sinto a paixão, o desespero,
sinto o tempero, o cheiro
Sinto suas mãos a me tocar
Sinto todas as cenas a passar
diante do meu olhar
como um filme a me torturar

As lembranças boas também vêm
e tristezas e alegrias passam a fazer parte da mesma imagem,
aquela imagem que exprimo no papel,
que a caneta desenha e cada letra descreve
Cada "a" e cada "r" é um pedaço da minha história
Todo o alfabeto produz os acordes da minha canção

Minha vida tem trilha sonora,
e nela está contido cada passo
no escuro
que fazia barulho ao não querer fazer
para não acordar ninguém
Nela está contido cada agudo
que eu alcancei tentando cantar
a nossa melodia
Nela está contido cada suspiro que eu dei
tentando te esquecer
Minha trilha sonora
Possui o barulho das gargalhadas ao raiar do dia
e os soluços da madrugada

E todas as palavras possuem cada som
que um dia fez parte da vida
E, juntas, compõe a melodia
que embala cada dia,
que me faz entender
porque há tantos acordes que eu ainda não conheço:
a cada segundo produz-se uma nova parte da canção.

Ela não tem fim,
não tem início
Apenas meio
Não possui maestro
Vai-se guiando pelos acontecimentos,
pelos momentos e sentimentos

A cada dia se renovando
e tocando aos meus ouvidos novos sons
Porque também a cada dia eu me conheço
e vou, aos poucos, cantando
A nova melodia que se apresenta

A poesia, os contos,
dão o tom exato às minhas trilhas sonoras
que se estendem por toda a vida
e perpassam todas as horas
e todas as histórias
e todas as memórias.

3 comentários:

  1. Linda!!!! Amei o título!

    ResponderExcluir
  2. Bom poema. Parabéns pelos versos brancos e pelos quintetos, são a melhor parte do poema. O final tá conciso também, ce tá de parabéns. O melhor até agora.

    ResponderExcluir
  3. Que issoooo, ameii!!
    Ta maravilhoso amiga, assim, mesmo tendo ficado um pouco poético demais - isso é ótimo, eu só não entendi algumas partes de primeira - eu amei.
    Vc ta destruindo em poemas amiga, tá se inspirando em que/quem? Ta cada vez melhor, o Drummond ta rendendo frutos hehehheh.
    Sério tá tão bom, que teve uma hora que eu achei que tava lendo um desses poemas das aulas de literatura, que sao tão profundos, que eu acho até difícil de ler hahahhaaah.
    Adoro seus poemas/seus textos/seu blog, e o título ta sensacional, to impressionada, vc sempre consegue me surpreender mais!
    Te amo

    ResponderExcluir